A bola não quer entrar


13 de outubro de 2018 | Notícias

Pela terceira vez seguida o Ituano teve mais posse de bola e criou mais oportunidades. Pela terceira vez perde por 2×1.

O jogo contra o Taubaté no Novelli Júnior era uma decisão. Após duas derrotas seguidas na 2ª Fase, todos sabiam da responsabilidade da partida. Uma vitória colocaria o Ituano a frente do próprio Taubaté na liderança provisória do grupo bastante equilibrado. Uma derrota deixaria o time na lanterna do grupo com apenas 3 pontos. Foram 16 oportunidades de gols do Ituano contra 4 do Taubaté. O time do técnico Vinicius Bergantin criou mais. Só que a bola não entrou. “É uma pena. Mais um capítulo deste filme. Mais uma vez tivemos um volume muito grande de jogo e nós fomos afoitos. As vezes falta uma lucidez necessária para marcar e matar o jogo e deixar o adversário sem reação” lamentou Vinicius. O Ituano perdeu pela terceira vez seguida de 2×1. Como em Taubaté com o Serrato em chute de fora da área, a bola do Paulinho Dias entrou no ângulo. “É treinamento. Procurei antes da bola chegar, ver o posicionamento do goleiro para tirar dele. Não é chutar com força. Tenho que executar o movimento com a cabeça fria para acertar a direção. Agradeço a Deus por ter conseguido marcar mais um gol pelo Ituano” falou Paulinho Dias. “Sempre escutamos no meio do futebol e este ensinamento jamais vai mudar. O treino é o espelho do jogo. Lógico que pela experiência e pela qualidade do Paulinho, ele sabe que quando a bola está chegando perto do seu pé, automaticamente vem à mente aquilo que ele treinou e executa com a mesma frieza e qualidade no próprio jogo. Talvez seja isso um dos motivos da bola não entrar. São jovens que ainda não conseguem transferir o que treinou para o jogo. Ai infelizmente a bola não entra” concordou Vinicius Bergantin.

Como tem acontecido nesta Copa Paulista, o Ituano começou no ataque. Foram 7 boas oportunidades até o gol do Taubaté marcado aos 28 minutos de jogo. O zagueiro Yago fez de cabeça após um escanteio num lance despretensioso. Antes do gol, Correa cobrou falta com perigo. Bassani chutou da entrada da área e a bola desviou no zagueiro. Gui Mendes recebeu passe preciso de Martinelli e cara a cara com o goleiro Rafael não conseguiu fazer o gol. O próprio Paulinho Dias bateu cruzado após bom passe de Gui Mendes e o goleiro Rafael colocou para escanteio. Dentro da área, Martinelli bateu no canto e o goleiro Rafael conseguiu desviar para escanteio. E numa bola espirrada na entrada da área, Correa pegou de primeira assustando o goleiro Rafael.  O gol de empate do Ituano só saiu aos 24 do 2º tempo. Marcos Paulo que havia entrado no lugar de Gui Mendes que saiu lesionado, perdeu duas oportunidades. As chances eram repetidas e nada de gol. Até que Giba rolou para Paulinho Dias de chapa colocar a bola no ângulo. O goleiro Rafael não teve reação. “Falo muito com os meninos para todo dia procurarmos melhorar. O corpo tem que estar a mil por hora. Mas a cabeça e o batimento do coração têm que ser mais baixo. Assim você consegue executar a jogada com mais clareza. Quando você está no jogo não pode ficar acelerado. Se ficar não vai conseguir fazer a jogada como treinou. É necessário que você consiga fazer a leitura da jogada para ter o movimento correto da forma que você faz nos treinos e assim conseguir tirar do goleiro e fazer o gol” explicou Paulinho.

Em busca da vitória, o técnico Vinicius Bergantin já tinha feito outras duas alterações colocando o time mais ofensivo com as entradas de João Morelli e Matheus Souza. Embora a pressão tenha continuado, as oportunidades foram rareando. Até que aos 50 minutos, foram 5 minutos de acréscimos, o Taubaté chegou ao gol da vitória com Elivelton. No apito do árbitro Márcio Roberto vários jogadores do Ituano caíram no chão. “Experiência é vivência com situações que vão te proporcionar o amadurecimento. Hoje é um dia de amadurecimento para eles. Claro que alguns demoram mais para aprender. Hoje é uma oportunidade para eles. Eu também estou aprendendo todos os dias. Eles têm que saber que tenho que estar frio para conseguir realizar uma jogada ou finalizar da melhor forma para fazer o gol. Tenho que estar frio para no final do jogo não tomar um gol e até sofrer uma derrota. Não deu para ganhar, segura o resultado. Experiência são vivências” outro ensinamento de Paulinho Dias. O técnico Vinicius não quer perder o lado bom desta equipe. “Temos que valorizar a confiança. Estamos conseguindo furar o bloqueio e criar as oportunidades. Estamos criando bastante. Agora tenho que passar tranquilidade e confiança. São jovens que tem muito valor e com um grande futuro. Isso serve de ensinamento para eles deslancharem na carreira. Esse é o papel do treinador para que eles possam amadurecer” afirmou Vinicius Bergantin. Mas o tempo está curto. Quarta tem jogo e esta fase termina no sábado. “Está cada vez mais apertado. Dependemos de uma combinação de resultado. Mas temos que nos preocupar em fazer o nosso papel. Temos que ser otimista e acredito na classificação” finalizou.

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP 

Miguel Schincariol
Fotografia 

13/outubro