Conheça os motivos do acesso do Ituano


22 de julho de 2019 | Notícias

A história do acesso contada pelos próprios atletas e responsáveis desta conquista do Ituano.

O grupo de 26 atletas do Ituano que conseguiu o acesso para a Série C tem várias histórias e o mesmo sentimento. Todos estiveram presentes em Itabaiana. Mesmo aqueles que não foram relacionados para a partida. Foi uma iniciativa da diretoria através do gestor Paulo Silvestri de levar o grupo todo neste momento importante. Leia algumas opiniões daqueles que viveram este acesso no campo. Alguns estiveram nas disputas dos outros anos. Outros que subiram da base e os reforços que vieram trazer experiência, fortalecer e renovar os sonhos do Ituano FC. A conquista foi merecida!

“Em 2016 batemos na trave. Vacilamos no jogo em casa e poderíamos ter pegado o próprio Itabaiana. Perdemos e pegamos um adversário mais forte que hoje joga a Série A. Neste ano não cometemos esse erro. Também com um grupo bom, apesar da ansiedade no primeiro jogo, conseguimos fazer uma diferença de dois gols para o jogo de volta. Isso foi muito importante para este jogo. Campo difícil, jogo difícil e no final deu certo e conseguimos este acesso tão sonhado” disse o lateral Peri que disputou a vaga em 2016 contra o CSA. Ele tem 22 jogos de Série D. “A diferença que este grupo soube jogar a Série D. Em 2016 se ganhássemos em casa contra o Lages, iríamos pegar o Itabaiana e decidiríamos em casa. Esse detalhe fez com que nós não subíssemos naquele ano. Agora não, jogamos sempre dentro do que precisávamos. Empatamos quando pudemos, e ganhamos quando foi necessário. Jogamos de acordo com a Série D” falou o lateral Pacheco que também jogou em 2016.

“Acredito que o grupo de 2016 contra o CSA é diferente deste grupo aqui. Este time aqui é mais competitivo que o de 2016 que era mais técnico. Esse grupo se encaixou melhor e conseguimos esse acesso que estávamos esperando a muitos anos” comentou Marcelinho que também jogou em 2014 e 2017. São 19 jogos na Série D. “Esse grupo tem mais união e humildade. Desde o começo cada atleta falou em ajudar o outro. Inclusive a comissão técnica. Esse grupo é mais unido. Formamos uma grande família. É semelhante ao grupo de 2014. No dia a dia, no vestiário, com alegria de estar juntos trabalhando. Mesmo na derrota um apoiando o outro. Conseguimos o primeiro objetivo. Agora vamos atrás deste título” explicou Claudinho, recordista de jogos pelo Ituano na Série D. São 31 jogos, com 6 gols e 6 assistências. Disputou 2014 e 2016.

Os reforços que chegaram para a Série D, perceberam as qualidades deste grupo. “A base do Paulista foi mantida, com humildade, trabalhando no dia a dia, jogo a jogo desde a fase de grupo, passando pelo mata mata para chegarmos ao objetivo. Aqui todos que chegaram agora foram bem recebidos pelos atletas que aqui já estavam. É um grupo forte” afirmou o zagueiro Leo Rigo que jogou as 12 partidas do acesso. “Acompanho o Ituano faz tempo. Vi as boas campanhas que o clube fez no Paulista e o título de 2014. Eu tinha um sonho de poder jogar aqui num clube como esse. Vendo de perto o que já percebia de fora, é muito gratificante. Com este acesso com esta galera muito boa estou muito feliz. Me sinto privilegiado” disse Marquinho que jogou 11 partidas. “Defino este grupo como maravilhoso! Desde quando chegamos no clube, fomos recebidos da melhor possível. Marcelinho, Claudinho e Correa nos deixaram muito à vontade. Todos que aqui já estavam nos apoiaram e isso foi fundamental para conseguirmos o objetivo” falou o atacante Angelotti que marcou dois gols e fez uma assistência. “Desde o começo vim com o pensamento de fazer um bom Campeonato Paulista e conseguir o acesso. Fiz um plano de carreira muito bom aqui no Ituano. Passo a passo conseguimos manter o foco e realizamos o planejamento do clube com maestria” contou o goleiro Pegorari que sofreu só 7 gols em 12 jogos da campanha. Média de 0,58 gol por jogo.

O planejamento do Ituano foi entendido por todos. Destacam os mais experientes do elenco. “Acredito que a força do mental é muito importante. Ter o poder de transformar e influenciar positivamente, não só com palavras, mas também com atitudes. Com as derrotas de quem já estava aqui, com o desejo de vencer de quem estava chegando e renovando este sonho. Conseguimos mesclar estes sentimentos. Tudo na vida é experiência. Estas situações trouxeram para o Ituano um merecimento. Vi o Ituano muito sólido em todas as áreas. Além da humildade deste grupo que conseguiu com a solidez de clube bem gerido, transformar dentro de campo coroar este trabalho com excelência. Nós pedimos no futebol brasileiro uma organização, mas também tem dentro de campo. Pedimos compromisso, mas nós também temos dentro de campo. As vezes nós jogadores mais experientes tentamos passar para os mais jovens o que nós já vivemos. Sem desconsiderar que a força da juventude, alegria e ousadia também são importantes. Esta mescla dá resultado” constata Paulinho Dias que chegou no início do ano passado junto com Serrato seu companheiro de meio campo. “O Ituano é um clube muito bom para se trabalhar. Quando cheguei no ano passado para o Paulista e todos me abraçaram. Neste ano foi igual. Inclusive agora para a Série D abraçamos a todos e formamos um grupo. Isso foi importante para o nosso acesso. O grupo é fera!” disse Serrato.

No elenco tem 8 atletas que vieram da base. Desde o meia Bassani que subiu em 2015, passando pelo zagueiro Mateus e Fellipe e o goleiro Júnior, até os mais jovens como Leo Augusto, Pavani e Gui Mendes, todos se integraram ao elenco com bastante harmonia. “Fui recebido muito bem quando subi da base no ano passado junto com os outros meninos. Isso facilita muito no dia a dia. Você tem mais confiança para jogar. Esse é um passo muito importante na nossa carreira que é subir da base para o profissional. Sobre a campanha conseguimos um dos objetivos que era o acesso para a Série C. É um grupo forte e que se dedica todos os dias. Estou muito feliz” afirmou Gui Mendes, artilheiro da Série D com 8 gols. O zagueiro Mateus já subiu há 3 anos e vê uma evolução.  “É um grupo que amadureceu bastante. O próprio Vinicius que já tinha uma experiência de Série D. Ele sabia como era a competição. Serviu de lição para este ano. Entramos diferentes desta vez. Dispostos a guerrear, e jogar quando tinha que jogar. Estou muito feliz. Vim da base, vi o crescimento do clube. Estou crescendo junto com o clube. Quero continuar crescendo junto com o clube e evoluindo para coisas maiores” contou Mateus que jogou 11 das 12 rodadas.

O capitão Correa que começou aos 14 anos na base do Ituano, saiu do clube há 20 anos e retornou no início do ano passado, destaca o principal valor deste elenco. “O comprometimento de todos. Compramos a causa do clube. Temos um ambiente vitorioso. De tudo que envolve o clube no dia a dia. Conseguimos com este acesso fazer a justiça no futebol. Um clube como o Ituano com toda a estrutura que tem não poderia continuar na Série D. Isso é incompatível com o crescimento do Ituano nos últimos anos. Todos nós nos empenhamos no dia a dia. Atletas, comissão técnica, diretoria e torcedores. Foi uma mescla de tudo. Com atletas jovens e mais experientes. Muito legal ver o Vinicius como técnico conquistar este acesso. Ele começou aqui, jogou, foi campeão e conseguir levar este time a Série C. Esta conquista é merecedora para todos nós” comentou Correa que foi o comandante desta conquista junto com o técnico Vinicius Bergantin que também fez a mesma trajetória. “Passa um filme na cabeça. Desde que cheguei ao Ituano com 13 anos de idade para iniciar a carreira de atleta. No final de 2012 o clube abriu as portas de novo para mim. Iniciei a nova carreira de técnico na base. Estes atletas compraram a causa do clube desde o início. Foi um grupo muito aguerrido, focado e determinado. Tenho uma comissão técnica muito competente que me ajudou no crescimento profissional. Além dos diretores Oscar e Edson que me deram todo o suporte necessário. Sou um sujeito abençoado e sou muito grato a todos por esta conquista do acesso a Série C” comentou o técnico Vinicius Bergantin.

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

22/julho