Correa completa 20 anos de carreira. Seu início foi no próprio Ituano.


21 de fevereiro de 2019 | Notícias

Correa fez sua estreia em 24 de fevereiro de 1999 num jogo contra o Barbarense. Ele tinha 18 anos na época. Ele é inspiração para a base do Ituano.

No próximo domingo, 24 de fevereiro, dia de Ponte Preta e Ituano no Moisés Lucarelli, o volante Correa estará completando 20 anos de carreira profissional. Foi no próprio clube, disputando o Campeonato Paulista de 1999, que o jovem de 18 anos foi lançado pelo técnico interino Celinho contra o Barbarense em Santa Bárbara. “Estamos ficando velho. Há 20 anos eu era um menino cheio de sonhos e Deus tem sido muito bom comigo. Completar 20 anos de carreira e ainda mais no clube onde comecei é muito satisfatório. Completar esta marca é muito difícil. Quero continuar ajudando o Ituano por um bom tempo” contou Correa com a calma de sempre. Curiosamente, um outro jovem, tem compartilhado este momento desde que estreou no Paulista do ano passado aos 16 anos. O atacante Martinelli é o mais jovem a estrear na história do Ituano. “É muito gratificante para mim estar iniciando a carreira com um ‘cara’ tão especial como o Correa, com uma cabeça muito boa. Ele sempre passa para mim e para o Gui Mendes para ter calma nas jogadas. Posicionamento em campo, o que vamos enfrentar daqui para a frente. Ele é um cara extraordinário. Se eu tiver uma carreira como o Correa estarei muito feliz” falou Martinelli que também fez toda a base no clube desde o sub 15.

Outra coincidência está no comando técnico do Ituano. Vinicius Bergantin foi companheiro de Correa em toda a base do Ituano. Mas só foi estrear no outro ano. Depois de encerrar a carreira de zagueiro, Vinicius iniciou a carreira de técnico no sub 17 do Ituano. Há quase dois anos no comando do profissional ele lançou Martinelli há 11 meses. “A frase é:  Qualidade não tem Idade. O Correa tem 38 anos e se preparou para jogar até esta idade. Tem qualidade e está jogando. O Martinelli tinha 16 anos e tem qualidade e coloquei ele para jogar. Sempre falei isso para as categorias de base. O Ituano quer sempre revelar jovens talentos. E qualidade não tem idade. Se estiver pronto com 16, terá oportunidade. Não vamos olhar a data de nascimento para promover a estreia dele. No caso dos dois, Correa e Martinelli é um privilégio. Tanto de dar a oportunidade ao Martinelli, como ver o Correa completar esta marca. Jogamos juntos na base do Ituano desde 1995. É uma alegria ver um grande amigo completando 20 anos de carreira. Estava junto com ele no sub 20 quando ele subiu para o profissional. Ficamos muito contente na época por ele estrear no profissional” relembra Vinicius Bergantin.

Neste Campeonato Paulista, Correa jogou 5 das 7 partidas. As últimas três como titular e fez uma assistência. Ele é muito importante para o elenco. “O segredo está no prazer do que você faz. Consegui através do futebol viver grandes momentos, disputar grandes competições, conhecer muitos lugares e voltar depois onde tudo começou. Voltar a jogar no clube onde me deu esta projeção. Que me formou como atleta e como cidadão também. Sou muito grato ao Ituano e a Deus por tudo que vivi nestes 20 anos. Falo sempre com os atletas, principalmente com os mais jovens do prazer e da alegria de fazer o que gosta. Tudo passa muito rápido. Continuo trabalhando com muita alegria, treinando e jogando e quebrando este paradigma que jogador mais velho tem que parar. Enquanto eu estiver bem, estarei em campo ajudando o Ituano” afirmou Correa que com sua sabedoria dá o recado para o time. “A palavra que devemos falar é equilíbrio. Temos alternado campeonato. Fizemos bons jogos e depois caímos de produção. Temos que buscar este equilíbrio. Sabíamos que este jogo contra o Mirassol era um divisor de águas. Agora é outro momento, temos que manter a boa postura e a performance para seguir crescendo. Vamos manter nossa concentração e a intensidade. É isso que nos levou a vitória. Semana cheia de trabalho é bom. Vamos buscar a primeira vitória fora de casa, para tentar a classificação para a próxima fase”. O amigo Vinicius corrobora. “A competição está caminhando para a reta final. O equilíbrio é mais válido ainda. O perfil dos jogos muda. Antes eram jogos mais estudados. Agora os jogos são mais abertos. Pois todo clube precisa de três pontos para atingir o seu objetivo” finalizou Vinicius Bergantin.

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

Miguel Schincariol
Fotografia

21/fevereiro