Correa está de volta ao Ituano. Ele foi apresentado junto com o Serrato.


18 de novembro de 2017 | Notícias

Correa jogou toda a base no Ituano e retorna ao clube após 16 anos e muitos títulos conquistados.

Correa está de volta ao Ituano depois de 16 anos. Ele começou na base do clube em 1995 aos 14 anos de idade. Jogou até o sub 20. Chegou a fazer um jogo no profissional e em 2000 seguiu sua carreira. “Reencontro o Ituano bem diferente. Muito mais estruturado e vitorioso nos últimos anos. Sabe que tem coisas a conquistar. Tem essa consciência que um time com essa estrutura, com tudo que oferece, principalmente a nível nacional, tem que estar numa competição mais qualificada. A gente fica feliz de saber que existe esse pensamento, essa filosofia de crescimento. Estar voltando, retornando para casa é muito bom e satisfatório. Espero me preparar bem junto com os demais companheiros, para que a gente possa colaborar dentro do campo, conquistando os objetivos, resultados e vitórias para continuar elevando o nome do Ituano. Não só a nível estadual, como tem acontecido, mas também a nível nacional, porque um time que tem essa estrutura tem que estar jogando as maiores divisões do Campeonato Brasileiro” comentou Correa que completa agora em dezembro 37 anos de idade.

Na volta para sua casa, reencontrou um velho e bom amigo. Vinicius Bergantin jogou com ele em todas as categorias de base e hoje será o seu técnico. “Isso é muito bom. Acho que foi o principal responsável por eu estar voltando. Cara que foi vencedor aqui e que teve uma carreira consolidada fora do país num mercado muito forte, que é a Alemanha. Já fez bons trabalhos aqui a nível de categoria de base. Tem participado da comissão nas últimas conquistas do Ituano. Acredito que ele está preparado para a oportunidade. Ele sabe da responsabilidade. É um cara que cresceu no clube, que gosta do clube e que torce pelo clube. Não que isso seja o principal ponto, mas com certeza torna o trabalho ainda mais prazeroso. E poder voltar e encontrar ele e o próprio Juninho, que eu tive o prazer de jogar junto no Palmeiras, é uma satisfação. Claro que eu sei da responsabilidade. Mas é procurar se preparar bem junto com os demais companheiros para que a gente possa fazer um 2018 ainda melhor do que tem sido os últimos anos. E cada vez mais continuar elevando o nome do clube e brigar pelas primeiras posições nos campeonatos que iremos disputar.    

O volante Serrato foi apresentado junto com o Correa. Ele fez a base no Paraná Clube onde se profissionalizou. Lá e na Ponte Preta pode jogar com dois atletas que falaram muito bem do Ituano. “Tenho amigos que jogaram aqui e falaram muito bem do clube. Clayson, Christian e o Rodrigo Celeste que jogaram aqui falaram muito bem do lugar. Eu fiquei bastante impressionado com a estrutura que tem aqui. São vários campos para treinar. Todo mundo é muito bacana. Tem bom material de treino. Isso tem tudo para somar para o Campeonato Paulista” afirmou Marcos Vinicius Serrato que nasceu em Curitiba. Como ele se profissionalizou num clube com boa estrutura, Serrato sabe valorizar o que viu no Novelli Júnior. “É muito importante. Porque dá um suporte para que o atleta consiga trabalhar bem e também consegue acertar mais nos treinos. Isso ajuda muito, porque às vezes o atleta fica estressado e a cabeça fica longe. E com essa estrutura que tem aqui, a gente tem tudo para fazer um belo campeonato”. Em 2015 ele disputou Paulista pela Ponte Preta e conhece o equilíbrio da competição. “É um campeonato difícil. Acho que é o mais difícil do país. A maioria dos clubes contratam jogadores bons. Mas com o elenco que estão montando aqui temos tudo para nos classificarmos no Paulista e buscar uma vaga na Série D. E sobre mim, sou um volante que sai mais para o jogo. Gosto de ter a bola no pé. E acho que tenho tudo para somar no clube do Ituano”.

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

17/novembro