Em jogo aberto de 4 gols, Ituano empata com a Ferroviária


22 de março de 2018 | Notícias

Lançado na base do clube há 18 anos, Correa se emociona ao marcar o seu primeiro gol no profissional do Ituano

O Troféu do Interior tem uma característica diferente da 1ª Fase do Paulista. Nas 12 rodadas de classificação a média foi de 2,01 gols por jogo. Foram marcados 193 gols em 96 jogos. Agora no Troféu do Interior foram marcados 19 gols em 6 jogos. Média de 3,16 gols por jogo. O Ituano que tinha média de 1 gol por jogo agora tem média de dois gols. Se no sábado, o Ituano marcou dois gols e venceu. Nesta quarta marcou novamente dois gols e empatou com a Ferroviária. “Foi um bom jogo. Na 1ª Fase os jogos são mais amarrados. Agora é mais aberto. Em Sorocaba foi assim e hoje mais aberto ainda. Claro que gostaria de administrar melhor quando não tínhamos a posse de bola. Também temos que reconhecer que enfrentamos um adversário de qualidade. Temos que melhorar a questão de agressividade e não ser tão passivo. Manter esta postura agressiva com a bola em busca do gol, criar várias chances e muitas finalizações. Vamos levar isto para o jogo de sábado e tentar a classificação” comentou Vinicius Bergantin. O meia Juninho que foi titular pela segunda vez consecutiva concorda. “A gente fez uma boa partida. Claro que tivemos alguns momentos ruins e eles souberam aproveitar. Saímos na frente e estávamos num bom momento do jogo. Talvez tenhamos relaxados um pouco e eles tem qualidade e aproveitaram. É mais questão de concentração. Não perder o foco. Depois reagimos e fomos buscar o resultado. Temos que ficar mais focados. Ter mais concentração” analisou o meia Juninho que fez seu sexto jogo pelo Ituano.

No primeiro tempo, o Ituano finalizou 6 vezes com bolas na direção do gol. A primeira grande oportunidade foi com Júnior Santos ao ser lançado pelo Tony. Ele ficou cara a cara com o goleiro Tadeu que fez a defesa. Em outro lance, Correa bateu da entrada da área, a bola desviou no zagueiro e Tadeu segurou a bola. Até que o Ituano abriu o placar aos 25. Igor recebeu em velocidade pela direita e cruzou rasteira para Júnior Santos entrar em velocidade e marcar seu 4º gol no Paulista. A partir daí foi a vez da Ferroviária aumentar a pressão que antes era só por cruzamento. Foram 7 finalizações e 5 no alvo. Vagner evitou aos 34 numa defesa difícil. Depois foi difícil. Diogo Martins cruzou da esquerda e Moacir cabeceou no chão e enganou o goleiro do Ituano. Faltando dois minutos para terminar o 1º tempo, Caio Mancha aproveitou um cruzamento da direita. Como aconteceu no jogo em Sorocaba, o Ituano voltou melhor e aceso passa a segunda etapa. Primeiro numa boa finalização de Juninho para defesa de Tadeu. Depois Giba tabelou com Júnior Santos na esquerda e cruzou para Correa marcar de cabeça. No ângulo. “Bonito como hoje, não lembro não. Mas fiz um parecido pelo Fortaleza, de cabeça, mas não foi no ângulo. Mas tenho feito alguns gols de cabeça nos últimos anos” contou Correa que marcou seu primeiro gol como profissional do Ituano. “É leitura de jogo que você adquire com experiência O adversário hoje estava bem postado. Tínhamos um bom volume de jogo. Até que numa boa jogada do Giba fiz uma boa leitura do lance. Este jogador que vem de trás é a surpresa. Foi o que eu fiz. Um gol bonito. Gol de empate e que poderia nos dar a vitória se nós caprichássemos um pouco mais poderíamos ter saído com a vitória. Está tudo aberto. Vamos fazer a matemática. E sábado vamos em busca da vitória” afirmou Correa que havia marcado gol pela base do Ituano.

Foi com a base do clube que o técnico Vinicius Bergantin usou para buscar a virada que quase veio. Aos 25 ele colocou Martinelli que estreou no sábado. Na sequência colocou Guilherme que foi lançado em 2012. O jogo ficou ainda mais aberto. Faltando 5 minutos, ele promoveu a estreia de mais um jovem. O atacante Gui Mendes de 17 anos e 5 meses. “De 2012 para cá o clube começou a aproveitar os garotos da base. Lembro desde o Yuri, Leo, Marcão, Claysson, Luís Felipe e tantos outros. São jogadores de qualidade que surgem e são bem trabalhados. Eles têm que ter o nosso respaldo. Qualidade não tem idade. Correa tem 37 anos, tem qualidade e está jogando. Os meninos com 16 e 17 são a mesma coisa. Temos que dar confiança para eles. Encoraja-los para que como ajudaram hoje colocando fogo no jogo. Que comecem uma carreira vitoriosa na vida deles” afirmou Vinicius Bergantin que também começou na base do Ituano e sabe a importância do apoio. O meia Guilherme que teve a chance de marcar o gol da virada num milagre do goleiro Tadeu recebe todo o apoio do grupo. “A gente sabe que este momento logo após a partida é muito complicado. Pode acontecer comigo que tenho 37 anos. Aconteceu ontem com o goleiro do São Caetano. O grande profissional sente. Porque a gente sabe o que nós representamos lá dentro. Não só nós mesmos, mas a nossa família, o clube, a história, os funcionários e torcedores que dependem e querem um bom resultado. Falei para o Guilherme, o futebol nos ensina a cada dia. Se ele faz o gol, ele sairia daqui como o herói do jogo. É um lance que vai martelar hoje na cabeça dele, mas amanhã já tem treinamento. Ele é importante. Tem feito um bom campeonato. Tem que aprender com isto e dar sequência. Ele está amparado por todos nós e confiamos nele. Tantos outros já passaram por isso. Ele lamenta hoje, mas no sábado ele pode decidir para nós e nos dar a vitória” falou com sabedoria o experiente Correa.

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

Miguel Schincariol
Fotografia

21/março