Goleada histórica do Ituano para o aniversário de Itu


4 de Fevereiro de 2019 | Notícias

Nascido em Itu, o zagueiro Leo, capitão do time, fechou a goleada de 5×1 contra o Santos.

A cidade de Itu completou no sábado 409 anos de existência. A comemoração do aniversário inspirou os atletas do Ituano e encheu de orgulho os torcedores do Galo rubro negro. Neste domingo o Ituano aplicou a maior goleada de sua história contra um dos 4 grandes de São Paulo. Venceu por 5×1 com sobras num jogo aberto onde o Ituano poderia ter feito um placar maior. Na cidade conhecida pelos exageros, esta afirmação não é exagerada. O técnico Vinicius Bergantin que começou sua carreira na base do Ituano, foi capitão do título de 2002 e desde 2013 trabalha como técnico no clube, iniciando sua carreira no sub 17,  ainda não tem a real dimensão do tamanho desta vitória. “Na verdade ainda não tenho noção das proporções desta vitória. Não só por ser uma grande equipe como é o Santos, mas também pelo momento que o time deles está vivendo, e principalmente pelo placar. Tudo que tem de bom num jogo de futebol nós colocamos em prática hoje. Somando o coração que veio na frente de todas as nossas atitudes. Comprometimento, parte técnica e tática, e a entrega dos atletas. Além da qualidade que os atletas colocaram em campo que foi de altíssimo nível” confessou Vinicius Bergantin. Nas 4 primeiras rodadas, o Ituano marcou três gols. Neste jogo fez três gols com menos de 20 minutos. O Santos tinha sofrido um gol em 4 jogos. No Novelli Júnior sofreu 5 gols. Com a segunda vitória na competição, o Ituano subiu para a segunda posição com 7 pontos no grupo D. Está atras dois pontos do líder São Paulo.

O primeiro gol saiu aos 7 minutos de jogo após um lançamento de Serrato para Morato que antes da chegada do goleiro Vanderlei tocou para o gol. Na comemoração foi comemorar com os torcedores do Galo de Itu no alambrado. O segundo gol saiu dois minutos depois. Serrato deu o bote na esquerda, roubou a bola e partiu em velocidade. Na saída de Vanderlei ele tocou devagarinho e a bola morreu mansamente no gol. O Santos até tentou uma pressão com três cruzamentos seguidos. No primeiro ataque do Ituano após esta pressão escanteio cobrado por Correa na esquerda. Alemão cabeceou na trave e no rebote, Jonas completou para o gol vazio. Isto com 19 minutos de jogo. Aos 22 minutos seria o 4×0 com Morato. Alemão puxou o contragolpe e na chegada de um zagueiro, ele tocou no meio para Morato que perdeu a passada e a chance de marcar mais um. O Santos também jogava no ataque em busca do gol. Deliz Gonzalez teve a chance de diminuir ao tocar no canto e a bola raspar o poste de Pegorari. Até que aos 41 Jean Mota, um pouco a frente do zagueiro, desviou de cabeça o cruzamento feito pelo Carlos Sanchez e fez o gol do Santos. Seria a reação? Não. Antes do apito do 1o tempo, Morato fez mais um após cruzamento em curva de Martinelli, Morato pegou de primeira para fazer 4×1 contra o Santos. 

“Nós sabíamos que seria um jogo diferente. Por isso entramos com uma outra formação em relação as outras partidas. Nossa estratégia foi neutralizar a saída de bola do Santos que coloca muito jogador por dentro, e utiliza o Vitor Ferraz e Copete por fora. A bola entrou um pouco de mais por fora, mas conseguimos impedir o jogo deles por dentro. Conseguimos neutralizar o Santos. A chave foi essa linha de três volantes e com Morato e Martinelli se entendendo muito bem lá na frente” explicou Vinicius como fez para anular o Santos. A linha de três volantes teve Baralhas, Serrato e Correa que entrou no lugar de uma dos meias do Ituano. No segundo tempo, Vinicius colocou Claudinho e manteve a velocidade dos contragolpes. Num deles, Martinelli recebeu a falta na direita. Correa cobrou para a área, e o zagueiro Leo testou com força para marcar o 5×1. Nascido em Itu, foi para fechar o final de semana de comemoração do aniversário de Itu. Se bem que no último minuto, Claudinho quase fez mais um para o Ituano. Uma vitória que aumenta a confiança do grupo. “A nossa tranquilidade vai até o início do treino para o próximo jogo. Claro que temos que curtir esta vitória histórica, mas o campeonato é muito difícil e sabemos das nossas responsabilidades. Do mesmo que não questionamos tudo nas derrotas, não podemos nos empolgar com uma vitória como essa. Temos que trazer uma boa confiança, mas temos que manter os pés no chão” lembrou Vinicius Bergantin que disputa seu segundo Paulista como técnico.

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

Miguel Schincariol
Fotografia

3/fevereiro