Ituano de volta a Santa Catarina


2 de agosto de 2019 | Notícias

Ituano já jogou em 8 cidades catarinenses. A última foi em Blumenau em 2017.

O Ituano retorna a Santa Catarina depois de dois anos. Na Série D 2017 jogou em Blumenau e venceu o Metropolitano por 1×0. Foi só a 4ª vitória em 13 jogos em terras catarinenses. Empatou três e perdeu 6 vezes. Santa Catarina é o Estado onde o Ituano mais jogou. São 8 cidades diferentes contra 8 clubes. Florianópolis, Joinville, Criciúma, Jaraguá do Sul, Ibirama, Palhoça, Lages e Blumenau. Neste domingo vai conhecer uma nova cidade. Brusque que fica no Vale do Itajaí. O Ituano venceu no Novelli Júnior por 2×0 e poderá perder por um gol de diferença que consegue a classificação para a final do Brasileiro. “Conversamos bastante sobre o que ocorreu em Itabaiana quando sofremos o gol logo no início. Fomos surpreendidos lá pelo time deles. Vamos a Brusque com cuidado para isso não se repetir. Temos que manter o foco. Estamos tranquilos” lembrou Marquinho que fez a assistência para o primeiro gol contra o Brusque. O lateral Pacheco que fez assistência para o outro gol, comemora o fato de ajudar o Ituano a conseguir mais uma vitória. “Nós que somos lateral e meia, quando conseguimos fazer um passe para o gol, comemoramos como se nós tivéssemos marcado. Fiquei muito feliz em poder ter ajudado o Ituano a conseguir esta vitória” disse Pacheco que em 2016 marcou um gol contra o Inter de Lages.

Se o Ituano não perdeu nenhum jogo em 2019 por diferença de dois gols, do outo lado tem o Brusque que nesta Série D venceu os 6 jogos em casa. Em 3 jogos pela diferença que precisa para conseguir a classificação. Inclusive nas 8as de nas 4as de final contra Boavista e Juazeirense, respectivamente. “Vamos para Brusque mais esperto e focados para não sermos surpreendidos. Sabemos que a equipe deles é forte em casa e já conseguiu bons resultados” afirmou o meia Marquinho. O pensamento do elenco é manter o respeito pelo adversário. Como foi durante toda a competição. “O time deles tem um time forte. Sempre temos que tomar cuidado. Não tivemos nenhum jogo fácil até aqui. Estamos preparados para enfrentar as dificuldades” afirmou Pacheco que deixa claro o principal objetivo do Ituano. “Nós queremos chegar à final do Brasileiro”.

O primeiro passo para buscar a classificação é não sofrer gol. Em 2019 o goleiro Pegorari sofreu 22 gols em 27 jogos. Média de 0,81. Na Série D a média é ainda melhor. Com 0,59 para 7 gols em 13 jogos. Além da qualidade de Pegorari, isso se deve ao trabalho do preparador de goleiros Ferreira. “É motivo de muito orgulho para mim. Estou muitos anos no futebol. Fui atleta e joguei no gol. Como treinador de goleiro é um trabalho diário. Mas é um trabalho de todos, de toda uma equipe, desde a defesa até o ataque. Não é apenas as boas atuações do goleiro, mas de todo o time” explicou Ferreira que está no clube desde 2013 e completou todos os acessos em sua carreira. “Esta é a 3ª vez que disputo a Série D. O Ituano precisava muito deste acesso por tudo que tem feito no futebol. Com todo o merecimento pelo trabalho que tem realizado nestes anos. E particularmente, era o único acesso que faltava na minha carreira. Estou feliz aqui no Ituano e na cidade de Itu” afirmou Ferreira que conseguiu todos os acessos no Campeonato Paulista com o Grêmio Barueri e no Brasileiro da Série C para B e depois para a Série A.

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426

2/agosto