Ituano é o campeão da Série C 2021


20 de novembro de 2021 | Notícias

Capitão Pegorari levantou a taça de campeão da Série C

Ituano conquistou seu segundo título em 8 participações na Série C. O outro título foi em 2003.

O Ituano venceu o Tombense no Novelli Júnior pelo segundo jogo da final por 3×0 e conquistou o Brasileiro Série C. Na primeira partida houve empate em Tombos por 1×1. Nesta partida decisiva, o time comandado pelo técnico Mazola Júnior confirmou o poder de melhor ataque da competição. Mesmo sem o artilheiro Tiago Marques que desfalcou o time por causa de uma amigdalite, o Ituano fez três gols. João Victor abriu placar aos 22 e Igor Henrique ampliou no segundo tempo. Os dois gols com assistências de Gerson Magrão. E nos acréscimos, Iago Teles fechou o placar ao marcar o seu primeiro gol no Ituano. A torcida que compareceu em bom número, 6.173 torcedores já cantavam “É campeão”, explodiu de alegria quando saiu o terceiro gol e o árbitro FIFA Anderson Daronco apitou o final do jogo. Foi a 14ª vitória em 26 jogos. Aproveitamento de 64% na competição. “Tínhamos falado antes da final que o Ituano merecia ser campeão pelo contexto do campeonato. Respeitando o time do Tombense, uma bela equipe. Mas na somatória dos dois jogos o Ituano mereceu ser campeão. Sem contar que em toda a competição o Ituano foi a melhor equipe. Não só pelos números, mas também pelo futebol que apresentou. É mais do que justo que o Ituano seja o campeão Brasileiro da Série C em 2021” comentou Mazola Júnior que assumiu o time na 3ª rodada. A campanha do Ituano nesta Série C iguala a campanha mais vitoriosa do clube em Campeonatos Brasileiros. Na Série B 2004 o Ituano também conquistou 14 vitórias em 29 jogos e foi o 6º colocado da competição. Foi a melhor colocação na Série B.

A vitória começou num passe de Gerson Magrão em diagonal para João Victor que cortou para dentro e bateu rasteiro no canto para fazer 1×0. O segundo gol teve a participação de 4 atletas na construção da jogada. Jimenez fez o passe para Igor Henrique na entrada da área. Ele rapidamente soltou na direita para o Kaio e correu para a área. Kaio bateu forte e fechado. A defesa do Tombense deu rebote e do outro lado Gerson Magrão recuperou a bola. Ele ajeitou e devolveu para a pequena área. Igor Henrique só desviou para fazer o segundo gol. Nos acréscimos, a torcida já comemorava o título quando o Ituano seguia atacando. Kadu Barone que entrou no segundo tempo, fez jogada individual e quase fez o terceiro. O goleiro Felipe colocou para escanteio. Gerson Magrão cobrou rasteiro para Bernardo que fez o pivô e Léo Duarte pegou de primeira. O goleiro não segurou e Iago Teles finalizou para fechar o placar. A descrição destes dois gols se constata uma participação de todo o elenco, sem titular absoluto e com muito entrosamento. “Eu não acredito que ninguém conquista nada sozinho. Assim como também quando erra, não é apenas o treinado. No futebol ele é o único que paga. Eu acredito no trabalho. Encontrei um trabalho muito bom aqui no Ituano. Faltava algumas peças importantes para complementar. Normal porque era o momento de transição do Paulista para a Série C. Nós procuramos dar uma pitadinha de Série B. Tanto nas contratações como no trabalho e na forma de jogar. Desde que cheguei aqui falei isso. O Ituano jogou na Série C como se joga na Série B. Até pela experiência que tenho nesta competição. São muitos anos neste campeonato. Fiz um estudo no ano passado que as equipes que estão subindo da Série C estavam utilizando jogadores de Série B. Foi o que procuramos fazer. O projeto deu certo” explicou Mazola.

O Ituano conquistou seu segundo título Brasileiro na Série C. Foi campeão em 2003 e agora repete o feito. São 18 participações em Campeonatos Brasileiros no total. Disputou sua 8ª Série C. E conquistou seu terceiro acesso. Além destes dois títulos, conseguiu o acesso em 2019 na Série D. O técnico Mazola Júnior que trabalhou no Ituano há 12 anos atrás no início da reestruturação do clube também já conseguiu três acessos na carreira. E classifica esta do Ituano como a mais fácil por tudo o que o clube ofereceu de infraestrutura e gestão. “O acesso mais complicado que tive foi no Paysandu em 2014. Quando volto ao clube no início 2º turno, o Paysandu estava a dois pontos da zona de rebaixamento. Depois de classificado, enfrentamos o melhor classificado da 1ª fase no mata mata. No Sport o acesso não foi dramático. E tínhamos um time muito bom e o Sport é muito grande. Aqui no Ituano te confesso que foi o acesso mais tranquilo. Devido ao grupo de trabalho que o clube tem. A estrutura que o Ituano me proporcionou. E a tranquilidade que me deu para eu exercer o meu trabalho. Além do respeito ao profissional. Coisa que faltou em outros clubes na Série B” afirmou Mazola Jùnior que ficará no Ituano para a temporada 2022 na disputa do Paulista e da Série B.  Será a quinta participação do Ituano na Série B que disputou pela última vez em 2007.

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

Fernando Roberto
Fotografo

20/novembro