Ituano foi castigado no final do jogo em Ribeirão Preto


11 de fevereiro de 2018 | Notícias

Marcelinho proporcionou o lance de maior perigo para o Ituano colocando uma bola na trave no primeiro tempo.

O Ituano chegou a metade do Campeonato Paulista sabendo que precisava voltar a vencer para se aproximar da classificação à próxima fase. Mesmo invicto, os quatro empates começavam a incomodar. “Temos que acertar nas finalizações para sairmos desta sequência de empates” comentou o meia atacante Marcelinho no início da partida em Ribeirão Preto. Os jogos contra o Botafogo são sempre de muito equilíbrio. Para voltar a vencer, além de acertar as finalizações, o Ituano precisava não se descuidar dos detalhes. Começou bem a partida, criando as melhores oportunidades no primeiro tempo. Não fez o gol e num detalhe perdeu o jogo. A expulsão de Serrato por dois amarelos mudou a história do jogo. “A gente vinha fazendo um campeonato equilibrado. Temos que ter atenção em todos os momentos. A expulsão, para mim injusta, foi um dos detalhes que determinou nossa derrota. Temos que voltar a vencer” afirmou o técnico Vinicius Bergantin. Mesmo com a primeira derrota na competição, o Ituano segue em terceiro no grupo A com 7 pontos. Na classificação geral perdeu uma posição. Agora está em 10º. Mesmo assim, ainda está entre os três clubes que se qualificam para a Série D 2019.  

Mantendo a mesma formação da última partida, e com 7 titulares dos 5 primeiros jogos, o Ituano começou melhor e buscando o gol na quente Ribeirão Preto. Aos 9 minutos, Guilherme deu o combate na saída de bola do Botafogo. Na sequência a bola sobrou para Marcelinho que puxa o contragolpe. Ele toca para Ronaldo que devolve de primeira para Guilherme. Ele entra pela esquerda e bate cruzado para boa defesa de Tiago. Três minutos depois, Tony recupera a bola no meio campo e lança Marcelinho que tabela com Ronaldo. Novamente ele devolve de primeira. Marcelinho da entrada da área, ajeita a bola e bate por cima. A bola resvala no travessão e sai pela linha de fundo. O Ituano não tinha mais posse de bola, mas conseguia ser mais objetivo. Após outro ataque, o rebote sobrea para Claudinho que finaliza de primeira. O zagueiro Plínio tira para escanteio. A única boa tentativa do Botafogo no primeiro tempo foi para fora. Numa bola cruzada da esquerda pelo Dodô, O atacante Bruno Moraes pegou de primeira. A bola subiu e saiu por cima. Parecia que o gol do Ituano estava perto. No segundo tempo veio aquele detalhe que o técnico Vinicius Bergantin reclamou.

Com 4 minutos, Serrato fez uma falta ao derrubar Lucas Taylor com carrinho. O árbitro Rodrigo Guarizo mostrou o amarelo. O primeiro cartão do jogo. O lance parece que despertou o Botafogo que conseguiu uma sequência de três finalizações para boas defesas de Vágner. Zagueiro Plínio tentou aos 5, Bruno Moraes aos 8 e o zagueiro Naylhor, ex-Ituano, cabeceou forte após escanteio. Vinicius Bergantin colocou William Henrique em campo que deu maior velocidade e ao ataque da equipe. Em dois lances, William já equilibrou o jogo novamente. Quando o técnico Vinicius Bergantin preparava a entrada de Bassani no lugar de Guilherme, veio o detalhe que o obrigou a mudar de estratégia. Serrato trombou com Naylhor e recebeu o segundo amarelo. Com a expulsão do volante, Vinicius colocou em campo Baralhar, em vez de Bassani. Mesmo com o time compacto, o Ituano ainda conseguia chegar ao ataque. Ronaldo finalizou forte aos 33 para defesa de Tiago. O momento era favorável e Vinicius colocou o atacante Júnior Santos no lugar de Marcelinho. Quando o jogo se aproximava ao seu final, Jheimy, outro ex-Ituano, levantou uma bola para Bruno Moraes cabecear no contrapé de Vagner. O gol saiu aos 43 do 2º tempo. Um verdadeiro castigo. Agora o Ituano tem uma semana para pensar nos detalhes. Só volta a jogar no outro domingo, as 10 horas contra o Mirassol, novamente fora de casa.

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

Miguel Schincariol
Fotografia

11/fevereiro