Ituano não jogou bem em Jundiaí na Copa Paulista


11 de julho de 2016 | Notícias

O Ituano não perdia para o Paulista há 3 anos. A última também foi na Copa Paulista em 2013.

Na Copa Paulista o Ituano sob o comando do técnico Vinicius Bergantin mandou uma equipe jovem para o clássico contra o Paulista em Jundiaí. No time titular tinha quatro atletas que vieram da base. Dois com experiência como o zagueiro Leo com 67 jogos e o meia Guilherme com 38 jogos. Os outros dois começam a jogar no profissional como os atacantes Wesley e Juliano Levak de apenas 19 anos. O Ituano utiliza a Copa Paulista para dar experiência e ritmo de jogo a todo o elenco. Mas nem todos os clubes que participam da competição tem a mesma filosofia. O rival de Jundiaí tem um time experiente que soube controlar a partida e conquistar a vitória. “Acho que ajudou muito. Rafael Fefo, Fabio Gomes e o próprio Arielton na frente conseguiram tomar conta do jogo. Nós tentamos jogar e impor o nosso ritmo. Eles conseguiram ter uma boa leitura de jogo. Tanto no momento bom deles quanto no momento ruim para neutralizar. Teve este fator de experiência também. Nosso time conseguiu reagir após o intervalo, mas tomamos os outros dois gols. Serve de aprendizado para não sermos surpreendidos por um contra ataque quando estivermos atrás no placar” comentou Vinicius Bergantin. A derrota por 3×1 deixou o grupo embolado. São 5 times com 3 pontos conquistados. “Não conseguimos nos impor no jogo. Eles jogaram nos nossos erros. Serve de lição para não repetirmos. O campeonato está apenas começando” lembrou o capitão Leo. “Serve de lição. Conversamos no vestiário sobre isso. Temos que nos impor pela qualidade de nossa equipe. Não importa se dentro ou fora de casa” finalizou Rodrigo Celeste que fez sua segunda partida com a camisa do Ituano.

No primeiro tempo o Ituano só teve uma chance clara de gol. Ainda sim em cobrança de falta de João Paulo. Bateu colocado e a bola foi na trave. O jogo já estava 1×0 para o Paulista. Arielton havia marcado em contragolpe aos 16 minutos. No lance a bola quicou no terreno irregular do Jayme Cintra e enganou o zagueiro Leo. Rafael já havia perdido um gol cara a cara com o goleiro Diego. E teve outras oportunidades para ampliar. “Nós entramos apático. Tomamos um gol logo no começo. Perdemos o controle e erramos algumas bolas e nos prejudicamos” explicou o capitão Leo. O Ituano voltou melhor após o intervalo e criou chance com Kenedy e após um cruzamento de João Paulo para Juliano. No contragolpe o Paulista fez o segundo com Michel. Logo depois chegou aos 3×0 com Rafael depois de jogada de Michel. Quando saiu o gol do Ituano, Rodrigo Celeste enfiou uma bomba com raiva. “Nossa equipe entrou bem no jogo após o intervalo. Ao contrário do primeiro tempo. Quando fiz o gol foi uma explosão para correr atrás de um possível empate. Nós sabemos da qualidade do nosso time. Nós sabíamos que poderíamos reverter o placar. Na semana passada fizemos um jogo muito bom contra o São Paulo e hoje não conseguimos nos impor. Por isso quando fiz o gol chutei com raiva porque estávamos atrás do placar” contou Rodrigo Celeste que marcou seu segundo gol pelo Ituano. Há três anos o time não perdia para o rival. “Tenho que tirar um ponto positivo do jogo. A entrada dos garotos para ganhar experiência. O Wesley teve uma participação boa no jogo. Ele está amadurecendo cada vez mais. O Juliano começa a ganhar suas primeiras oportunidades e se adaptando ao estilo de jogo no profissional. Além de poder dar ritmo a outros atletas como Pacheco, Celeste e Kenedy que podem jogar a Série D. Então sempre dá para tirar aspectos positivos na Copa Paulista. São fatores claros dá experiência e ritmo para quem possa nos ajudar na Série D” explicou Vinicius Bergantin.

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

10/julho