Ituano vence em João Pessoa


2 de outubro de 2021 | Notícias

Igor Henrique após marcar o gol contra o Botafogo em João Pessoa

Com gol de Igor Henrique, Ituano venceu o Botafogo por 1×0 no estádio Almeidão.

Ituano voltou a Paraíba após 18 anos e novamente retorna para casa com motivos para comemorar. Em 2003, voltou com o título da Série C no empate em 4×4 com o Botafogo. Desta vez, voltou com uma vitória por 1×0, gol de Igor Henrique, contra o mesmo Botafogo. “Uma vitória muito difícil. Claro que tínhamos um plano de jogo. Alguma variável a gente não controla, por exemplo a presença do torcedor que trouxe um peso maior. Depois na segunda etapa principalmente, o time soube administrar dentro do seu estilo, e conseguiu anular as investidas mais perigosas do adversário” explicou o auxiliar Carlos Pimentel que dirigiu o Ituano na suspensão do técnico Mazola Jùnior, excluído na última partida pela arbitragem. Além de largar a 2a fase da Série C vencendo, ainda estabeleceu uma nova marca de invencibilidade em Campeonatos Brasileiros. O Ituano chegou a 10 jogos sem perder com 5 vitórias e 5 empates. Superou a marca de 2004 na Série B quando teve uma sequência de 9 jogos invictos com 5 vitórias e 4 empates. Naquele ano terminou na 6ª posição, melhor colocação do clube na Série B. Agora o objetivo é repetir a trajetória de 2003 quando conseguiu o acesso em João Pessoa. O Ituano larga esta 2a Fase na frente com 3 pontos e nos próximos dois jogos recebe no Novelli Júnior, Criciúma e Paysandu.

Os dois clubes voltaram a jogar com a presença de público após quase 20 meses. A atmosfera do jogo de abertura da 2ª fase da Série C era diferente no estádio Almeidão para Botafogo e Ituano. Quase 4 mil torcedores foram autorizados e puderam assistir ao jogo que no primeiro tempo teve pouca chance de gol. Com o zagueiro Mateus Silva, o Ituano finalizou duas vezes. Uma de fora da área por cima do gol e outra num cabeceio após escanteio cobrado por Gerson Magrão. A bola passou perto. O segundo tempo foi melhor! Com 41 segundos, Pegorari evitou o gol num chute a queima roupa de Clayton dentro da área. Pegorari salvou com o pé. E aos 12 foi a vez de Pacheco mostrar sua qualidade ao cruzar uma bola de longa distância para Igor Henrique desviar para o gol. Ele nem conseguiu comemorar direito. “Na hora do gol nem vi que marquei. Foi o Tiago que me levantou e disse “Foi gol”. No lance recebi um soco, acho que foi do goleiro. Não lembro bem do lance. O importante que foi gol e pudemos sair daqui com esta vitória” explicou Igor Henrique que valoriza a jogada da construção do gol da vitória. “Foi um belo cruzamento do Pacheco e fui feliz em antecipar. Quando vi já estava muito próximo do goleiro e nem senti o cabeceio. Mas fiquei muito feliz por marcar e pela vitória. Será muito importante para nós nesta fase” disse Igor Henque que marcou seu 3º gol na competição. No final, Pegorari voou para colocar para escanteio um chute perigoso da entrada da área. Este é o terceiro jogo seguido que o Ituano não sofre gol.  

Pelo segundo ano consecutivo o Ituano começa bem a 2ª fase da Série C. No ano passado o Ituano venceu o Vila Nova em Goiânia por 2×1 e depois em casa só fez um ponto diante do Brusque e Santa Cruz. O aviso foi dado ainda no vestiário do Almeidão. “No primeiro minuto nosso no vestiário foi dado este alerta aos jogadores. E foi reafirmado. O campeonato não começou hoje que foi a 19ª rodada, e também não termina hoje. A vitória é importante, mas ela é mais uma etapa importante de construção de uma caminhada para o acesso. Não podemos nos acomodar em cima deste resultado” afirmou Carlos Pimentel. Embora não estivesse no elenco da temporada passada, o meia Igor Henrique lembra que as lições dever ser aprendidas. “Estamos bem focados. O professor Mazola fala muito isso. Conseguimos um resultado muito importante fora de casa. Vamos manter os pés no chão. Agora dentro de casa temos que fazer o nosso dever. Não ganhamos nada ainda e pensar no próximo jogo, seguir pontuando e no final conseguirmos o acesso” afirmou Igor Henrique. Sobre o novo recorde de invencibilidade do Ituano, o mérito é compartilhado para todos. “É uma divisão de méritos. Não é só técnico, ou dos jogadores. É uma soma de todos. Dos atletas, do comandante Mazola, a gestão profissional de Paulo Silvestri e a direção executiva do Beto Souza. É uma somatória de fatores. Tem a marca do Ituano, um clube que é muito sério e que merece esta sequência ” disse Carlos Pimentel.

Acaz Fellegger
Jornalista

Suelanio Viegas
Fotografo

2/outubro