Ituano volta com o empate do Canindé


19 de agosto de 2018 | Notícias

O Ituano saiu atrás do placar no final do 1º tempo. Mas Correa cobrando pênalti deixou tudo igual na segunda etapa.

Na ensolarada tarde deste domingo, 1.427 torcedores acompanharam o empate por 1×1 entre Ituano e Portuguesa no Canindé pela 5ª rodada da Copa Paulista. Com o resultado, a equipe de Itu chegou aos 7 pontos e perdeu a oportunidade de alcançar a liderança do Grupo 4. “A gente fica um pouco contente com o empate. Mas a verdade, eu acho que o domínio da partida foi todo nosso. Conseguimos aqui em São Paulo impor o nosso ritmo de jogo. A nossa proposta de controlar o jogo com a bola foi colocada em prática, principalmente no primeiro tempo. Mas vamos saber valorizar este ponto. A Portuguesa é uma das grandes equipes deste campeonato. Então temos que usar isto com gosto de quero mais e evolução na competição” comentou o técnico Vinicius Bergantin. Mesmo tendo buscado a vitória durante todo o jogo, o Ituano comemora o empate no Canindé. “A vitória hoje aqui nos daria o primeiro lugar. Passaríamos a Portuguesa. Mas sabemos da tradição e o quanto é difícil jogar aqui. Fizemos um primeiro tempo bom com domínio e posse de bola. Acho que é um ponto valioso, por ser um confronto direto. A gente tem um jogo a mais ainda para fazer. Então a vitória em casa na quarta-feira nos leva para a primeira ou segunda colocação. Diante disso é um ponto valioso desde que façamos o nosso dever de casa. Então é um ponto que irá fazer muita diferença lá na frente” disse Correa, artilheiro do time na competição com dois gols ao lado de Bassani.

O jogo começou equilibrado, com os dois times se estudando em campo. Aos poucos, o Ituano foi controlando a partida e ficando com mais posse de bola. E aos 10 minutos chegou com perigo. Martinelli recebeu na esquerda, invadiu a área e bateu cruzado à esquerda do goleiro Leandro. A Portuguesa só chegava em bolas alçadas na área. E numa cobrança de escanteio, o goleiro Júnior não conseguiu afastar, a bola sobrou para Jean que chutou por cima do gol. Aos 26 minutos, Marcos Paulo recebeu na esquerda e bateu cruzado no canto do goleiro Leandro. Mas o bandeirinha assinalou impedimento do atacante do Ituano. A Portuguesa chegou com perigo quatro minutos depois. A zaga do Galo de Itu bateu cabeça e perdeu a bola na entrada da grande área. O atacante João Guilherme cruzou e achou Luiz Henrique livre para cabecear por cima do gol. Pouco depois, o Ituano teve outra oportunidade. Martinelli recebeu no meio, fez o giro e bateu firme. A bola passou por cima do gol rente ao travessão. Mas quando tudo se encaminhava para um 0x0 no final do primeiro tempo, a Portuguesa abriu o placar. A bola foi levantada na área do Ituano e Giba foi imprudente e deslocou o atacante da Lusa. O árbitro Paulo Sérgio assinalou o pênalti. Na cobrança, Fernando bateu no canto direito do goleiro Júnior para fazer 1×0.

Atrás do placar, o Ituano voltou do intervalo pressionando, enquanto a Portuguesa se fechou e passou a jogar nos contra ataques. Sem conseguir se aproximar da área, o jeito foi arriscar de longe. Martinelli recebeu no meio e bateu forte. A bola passou à esquerda assustando o goleiro Leandro. A Lusa marcava forte e o Ituano não encontrava os espaços. Mas em jogada individual de Martinelli, o Galo de Itu chegou ao empate. O jovem recebeu na esquerda, entrou dentro da área e ao ganhar a linha de fundo foi derrubado pelo zagueiro. O árbitro marcou pênalti. “A ideia foi trazer o Martinelli mais atrás para ele pegar essas bolas de frente para a defesa. Conversei com ele. Mérito total do Martinelli no lance do pênalti de tirar o zagueiro da área e enfrentar onde é mais difícil para o defensor. Dessa forma, você tira o zagueiro da zona de conforto dele.” Analisou o técnico Vinicius Bergantin. Na cobrança de pênalti, Correa bateu forte no canto esquerdo do goleiro Leandro para deixar tudo igual aos 23 minutos. Após o empate, o jogo ficou mais aberto com oportunidades para os dois lados. A Portuguesa chegou num cruzamento pela direita com a bola passando por toda a extensão da pequena área. Aos 35 minutos do segundo tempo, Bassani entrou na área, foi na linha de fundo e cruzou rasteiro. O goleiro Leandro fez a defesa. No minuto seguinte, Fernando chutou firme para defesa de Júnior. Nos acréscimos, Matheus bateu forte por cima do gol, assustando o goleiro Júnior. “Saio com um sentimento bom daqui. Mas os jogadores sentiram bastante o cansaço. Um jogo mais tenso, num estádio que tem história e com torcida. Mas fiquei contente com o que eu vi hoje aqui” finalizou o técnico Vinicius Bergantin. Na próxima rodada o Ituano recebe a equipe do Audax.

 

Wallace Quaresma
Jornalista Mtb 57.931 S.P.
Assessoria de Imprensa do Ituano
19\agosto