Ituano voltou com o empate de Araraquara


21 de janeiro de 2018 | Notícias

A dupla campeã de 2014 foi a responsável pelo gol contra a Ferroviária. Assistência de Claudinho e gol do zagueiro Léo.

O Ituano começou o Paulista 2018 bem vencendo na estreia, mas sabia que o jogo na Fonte Luminosa pela segunda rodada era muito perigoso. “Precisamos ter paciência. A Ferroviária tem um bom conjunto e manteve o time que conquistou a Copa Paulista” lembrou o técnico Vinicius Bergantin. Outra lembrança de vários jogadores do Ituano que estavam na temporada passada é que a Ferroviária venceu duas vezes o Galo de Itu. “Nosso time sabia que seria um jogo difícil. Viemos com o objetivo de não entrar no ritmo deles. E foi isso que aconteceu. Fizemos o nosso jogo. Marcamos o gol logo de cara que foi importante. Pena que sofremos o empate” falou o zagueiro Léo que abriu o placar para o Ituano ainda no primeiro tempo e sofreu o empate em 1×1 na etapa final. “A gente fica com este gostinho que podia ter vencido porque nós estávamos na frente no placar. Se estivéssemos perdendo e empate é diferente. Mas foi um jogo fora de casa contra um adversário difícil. Depois do gol da Ferroviária voltamos a crescer na partida. Mesmo assim a gente segue bem no campeonato e com a cabeça boa. Mas se tivesse segurado um pouco mais poderíamos sim ter voltado com os três pontos” afirmou Vinicius Bergantin. “Jogamos e marcamos. Tive a oportunidade de fazer um gol, mas não pude concluir bem. Jogando fora de casa o empate ficou de bom tamanho” disse o meia Guilherme. Com o ponto conquistado, o Ituano segue líder do grupo A com 4 pontos.

O jogo começou com um aparente domínio da Ferroviária e com o Ituano controlando a partida. Tanto que nos primeiros 20 minutos foram apenas duas finalizações sem perigo da Ferroviária. No primeiro lance de perigo o Ituano fez o gol. Após escanteio, Guilherme virou o jogo para o Correa que lançou de primeira o Claudinho dentro da área e fez um lindo lance para o zagueiro Leo marcar. “Quando dominei a bola, vi o zagueiro vindo com tudo. Só tirei dele e ele passou direto. Aí foi só tocar para o Léo” contou Claudinho. Leo que marcou seu 10º gol pelo Ituano comprova o bom entrosamento. “Foi uma bola perfeita do Correa para o Claudinho que quando dominou, passei gritando para ele. Ele fez o passe e eu fui feliz em marcar o gol” disse. Durante todo o primeiro tempo, a Ferroviária teve só duas chances de empatar. Numa o goleiro Vágner fez boa defesa. Na outra Hygor fez em impedimento bem anulado pelo Alessandro Darcie. Nas outras tentativas, a Ferroviária buscava o empate através dos cruzamentos. O zagueiro Rodrigo Sam tirou todas. Justamente ele foi o protagonista de lance que assustou no início do segundo tempo. Após mais um cruzamento, o goleiro Vágner saiu para socar a bola e atingiu o rosto de Rodrigo Sam que caiu no gramado sangrando. Atendido pelo dr. Alexandre teve que ser substituído pelo Ricardo Silva que fez sua estreia.

No segundo tempo a Ferroviária voltou buscando o empate. Além dos vários cruzamentos, o goleiro Vágner evitou duas finalizações de Velicka e Welinton Júnior. Antes do empate, o Ituano quase fez o segundo gol. Guilherme fez boa jogada, segurou a bola e rolou para Correa que bateu forte. Passou perto. O empate veio da única jogada que a Ferroviária conseguiu entrar pelo meio. Num lance que gerou dúvida pelo posicionamento de Leo Castro, ele recebeu passe preciso de Ikaro e tocou na saída de Vagner. O Ituano não sentiu o empate e acreditou na possibilidade da segunda vitória seguida. Correa cobrou falta com perigo aos 25. Guilherme em dois lances quase fez. No primeiro chute da entrada da área, o goleiro Tadeu fez boa defesa colocando para escanteio. Na cobrança a bola voltou para Guilherme que finalizou mais uma vez. Desta vez para fora. Nos acréscimos, foi a vez de Juninho tentar e assustar o goleiro Tadeu. “Estou contente com a performance dos dois jogos. Fomos coerentes nestes dois jogos. A gente vai tentar ficar um pouco mais com a bola. Estamos conseguindo controlar bem o jogo sem a bola. E com a bola a melhor fase nestes dois jogos foi depois do gol da Ferroviária quando colocamos a bola no chão, rodou bastante e esse é um ponto a ser evoluído” explicou Vinicius Bergantin. “Nosso time estava fechadinho. Estávamos saindo no contra-ataque, rápido e objetivo. Poderíamos sim ter saído com a vitória” lamentou o zagueiro Léo.

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

Miguel Schincariol
Fotografia

21/janeiro