Leo, o jovem centenário do Ituano


23 de março de 2018 | Notícias

No sábado contra o Mirassol, o zagueiro Leo chegará a 100 jogos pelo Ituano. Ele será o terceiro atleta nesta década a chegar a marca centenária.

Nascido em Itu há 23 anos, Leo faz parte do primeiro grupo aprovado em 2011 para o retorno das categorias de base do Ituano após 4 anos sem atividade. Já no ano seguinte, Leo ficou no banco em três jogos do profissional do Campeonato Paulista. Em 14 de julho de 2012 ele entrou no final da partida em Mogi Guaçu na vitória por 2×1 contra o Guaçuano pela Copa Paulista. Quase 6 anos depois, Leo estará completando 100 jogos pelo clube no próximo sábado. “Feliz com esta marca. Não é fácil chegar a 100 jogos num clube do interior. É uma marca muito boa. Sempre trabalhei em busca de oportunidades. Sempre com os pés no chão. Acredito que aproveitei bem as oportunidades que me deram neste período” comentou o zagueiro Leo. Além de ser o único atleta que nasceu em Itu, Leo foi o primeiro atleta da base a ter uma chance no profissional. Isso aumenta ainda mais o valor do fato. Ele é muito grato ao Ituano. “É o clube que abriu as portas para mim. Ainda mais na cidade onde nasci. Estou muito feliz” afirmou Leo. Desde 2012, 35 garotos da base ganharam oportunidade e fizeram pelo menos uma partida no profissional.

Nesta década três atletas atingiram a marca dos 100 jogos. Em 2014 foi o zagueiro Anderson Salles. No sábado passado foi o atacante Claudinho. “É uma marca expressiva para mim e também para um clube do interior que tem atletas alcançando 100 jogos. Significa regularidade” afirmou Leo que no Paulista 2015 jogou as 15 partidas os 90 minutos. No Paulista deste ano ele repete a dose. Jogou as 14 partidas até aqui os 90 minutos. Em 99 jogos pelo Ituano recebeu apenas 8 cartões amarelos. Nunca foi suspenso. E nunca foi expulso. “Para mim é um fato positivo. Incrível que por ser zagueiro sempre tem gente que crítica por não tomar cartão. Sou um jogador técnico. Sempre procuro ser leal nas jogadas. Assim não prejudico o time” contou Leo que viu estrear mais dois jovens vindos da base. No sábado foi Martinelli e na última quarta o Gui Mendes. Ambos querem seguir os passos dele. “É aproveitar a oportunidade. Não abaixar a cabeça. Trabalhar que a oportunidade chega para todos. Quando chegar, saber aproveita-la” aconselhou Leo. Aos 17 anos e 7 meses, Gui Mendes não sentiu o peso da estreia. “Foi tranquilo para eu entrar. O Vinicius deu total confiança. O Luís (auxiliar) também falou comigo. Todos aqui no elenco dão apoio. Não me senti pressionado” disse Gui Mendes que era só sorriso. “Estou muito feliz com a estreia. Desde criança sonhei com isso. Pena que a vitória não veio. Vamos trabalhar firme e forte para esperar uma outra oportunidade” contou Gui Mendes.

O jogo centenário do zagueiro Leo será decisivo para a classificação do Ituano para a final do Interior. Precisa vencer o Mirassol no sábado as 19 horas e torcer por um tropeço da Ponte Preta em Sorocaba contra o São Bento. “Temos que fazer o dever de casa. Vamos entrar ligado desde o início da partida para não sermos surpreendidos como foi nos últimos jogos. Temos totais condições de conseguir um resultado positivo aqui em casa. Vamos em busca desta vitória e quem sabe poder chegar a mais uma final do Interior” falou com esperança o zagueiro Leo. Ele ainda contou o apoio de todos ao jovem Guilherme que perdeu o gol no último lance de quarta. “Ele ficou muito chateado. Assim como todos nós por causa do resultado. Nosso grupo é bom. Quando um precisa todos abraçam e dá o apoio. Como no lance do Vagner em Sorocaba. Ele disse que falhou, e para mim ele não falhou. Todos nós demos apoio. A mesma coisa com o Guilherme. Ele é jovem. Todos deram apoio e confiança para ele” demonstrou maturidade Leo. Ele e Guilherme são exemplos para Martinelli e Gui Mendes que estão subindo. “Tenho como referência para minha carreira os atletas que também subiram da base para o profissional. O Guilherme, Bassani, Baralhas e claro o Leo. Além da experiência do Correa que sempre fala com a gente” contou Gui Mendes.

 

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

23/março