O profissional do Ituano iniciou a preparação com um velho conhecido


5 de dezembro de 2018 | Notícias

O preparador físico Pimentel está de volta ao Ituano após 8 anos. Ele trabalhou 7 anos no Japão.

Parte do elenco do Ituano já iniciou a preparação para o Campeonato Paulista 2019. Com atletas que disputaram a Copa Paulista, já com alguns reforços e outros que retornaram dos seus empréstimos, os trabalhos físicos começaram com um profissional que retorna ao clube após 8 anos. Pimentel encontrou o clube muito diferente daquele que ele conheceu em 2009 e 2010 no início da gestão do Juninho Paulista. “Melhorou muito. Eu vim como convidado para assistir um jogo aqui da Copa Paulista contra o Nacional. E ali eu tive o conhecimento da estrutura. E foi um impacto muito interessante. Porque a quase dez anos atrás o Juninho tinha um sonho. De construir uma estrutura digna para chegar a formação ideal do atleta e também da obtenção dos grandes resultados. E foi isso o que eu falei para ele – ‘Juninho, a sua estrutura hoje ela não deve nada para muitos clubes de grande camisa’. Então o Ituano hoje oferece uma condição plena de trabalho” comentou Pimentel que trabalhou no Japão durante 7 temporadas. “Eu saí daqui no meio do Campeonato Paulista de 2010. E no Japão eu fiquei por 7 anos. Eu trabalhei em duas equipes. Pelo Kashiwa Reysol por 4 temporadas. Tivemos uma passagem muito interessante. Ganhamos 5 campeonatos. Ganhamos o Campeonato Nacional, fomos disputar a Copa da Ásia. Jogamos  contra o Santos numa semifinal do Mundial de Clubes. Isso foi uma experiência muito gratificante, produtiva e vencedora. Fomos para um outro clube por mais 3 temporadas, que foi o Vissel Kobe. É o atual time de Podolski, Iniesta e Davi Villa. E também tivemos ali três temporadas de um trabalho muito gratificante. Lá não conseguimos o título. Mas conseguimos a melhor campanha do time na história do Vissel Kobe. Terminamos em 4º lugar ha duas temporadas.. Foram 7 bons anos no Japão e agora estou de volta a Itu”. Assim como Ituano evoluiu, Pimentel também melhorou e trouxe ensinamentos nipônicos na bagagem. “A primeira coisa é a organização. Seriedade, valorização de uma unidade de treino. O futebol sendo levado a sério como uma profissão de alto rendimento. Isso é a primeira coisa que impacta bastante. E o futebol brasileiro também está buscando isso. Mas isso foi o principal valor agregado que eu trouxe de lá. Enquanto metodologia de treino, a concepção de que o futebol não é cartesiano. Ele não é mais separado em trabalhos de ênfase física, ênfase técnica e ênfase tática. O futebol hoje ele é integrado. Ele é feito na sua totalidade. Então o componente jogo e o componente bola, ele tem que estar presente em todas as unidades de treino”. Pimentel já trabalha integrado e com perfeita harmonia ao técnico Vinicius Bergantin que vai concluir a Licença A na CBF a partir de sexta feira.

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

6/dezembro