ITUANO QUER A REABILITAÇÃO EM CAMPINAS


6 de abril de 2016 | Notícias

Guly sera um dos desfalques e nao podera jogar onde comecou a carreira. Mas a frustacao e outra.

O Ituano permaneceu na zona de classificação durante 8 rodadas. Há três liderava o grupo B. A derrota em casa derrubou a equipe para a última posição do grupo faltando apenas um jogo para terminar a 1ª fase. Uma mudança drástica de cenário. “Essa derrota veio num momento ruim da competição. “Faltou a bola entrar. Tentamos o tempo todo. Se você buscar o histórico da partida finalizamos mais do que o Mogi Mirim. Infelizmente tem aqueles dias que a bola não quer entrar. Agora temos que ter tranquilidade e trabalhar nesta semana pensando na vitória no domingo. Claro que a nossa situação ficou difícil, pois não depende mais da gente. Mas temos que ganhar e fazer os três pontos. Depois vamos ver o que vai dar no final da rodada” comentou o capitão Naylhor que jogou as 14 partidas do Paulistão. A primeira derrota no Novelli Júnior na temporada ainda está sendo digerida. “Passamos dois jogos e não ganhamos. O Ituano era para ter vencido o Agua Santa e principalmente o Mogi Mirim. Hoje fica mais difícil, mas o Ituano tem que ganhar do Red Bull. É o nosso perfil em buscar as vitórias. Temos que ter cabeça como fizemos durante o campeonato. Temos que chegar em Campinas e fazer um bom jogo. Para nós e para Itu” comentou o meio campo Guly.

Com 19 pontos, o Ituano que só dependia de si, agora depende do tropeço de 3 das 4 equipes que estão na sua frente. A diferença para os líderes Palmeiras e Novorizontino é de apenas dois pontos. A pressão será para os 5 clubes em busca das duas vagas. “Nós atletas temos que conviver com a pressão. No futebol tem emoção e tudo isso junto. Faz parte do futebol. Temos que ter tranquilidade e trabalhar em busca do resultado. Firme e forte. Quem sabe no último jogo temos uma surpresa e conseguimos classificar o Ituano” falou com esperança Naylhor.  Para a partida no domingo em Campinas contra o Red Bull, o técnico Tarcísio Pugliese não poderá contar com três atletas por causa do cartão amarelo. O lateral Raul Prata, meia Igor e o volante Guly que voltaria a jogar no Moisés Lucarelli depois de 15 anos. A decepção maior é outra neste retorno ao futebol brasileiro. “Bate uma decepção do modo como estão sendo interpretados pelos árbitros os lances de falta. Tomei um amarelo contra o Corinthians e até hoje não entendi. Domingo tomei duas cotoveladas na boca e o juiz não falou nada. Depois sim bati boca com o adversário e errei. Mas o cartão era para os dois. Estou tentando entender como funcionam as coisas aqui no Brasil. Qualquer coisa é falta, e leva cartão amarelo. Jogando na Inglaterra onde há muito contato físico e não tem amarelo. Estou tentando diminuir. Essa é minha única decepção e não o fato de não jogar no Moisés Lucarelli. Para mim só interessa o Ituano” explicou Guly que jogou 10 partidas neste Paulistão.

 

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

Miguel Schincariol
Fotografia

6/abril