UMA NOITE PARA ESQUECER EM RIBEIRAO PRETO


22 de fevereiro de 2016 | Notícias

Em 35 segundos de jogo mudou o cenário do confronto entre Botafogo e Ituano no estádio Santa Cruz.

Em 35 segundos de jogo mudou o cenário do confronto entre Botafogo e Ituano no estádio Santa Cruz. A confiança pela boa campanha do Ituano em conseguir um bom resultado em Ribeirão Preto e consequentemente a liderança do grupo começou a sair pelos dedos. A pressão que o Botafogo sofria por não ter vencido ainda no Paulistão começou a diminuir a partir da mão que o zagueiro Luiz Felipe colocou na bola no chute de Allan Dias fez dentro da área. Tirou do goleiro Fábio, mas encontrou o bom zagueiro que numa atitude instintiva fez a defesa. “Com certeza. Foi um fato que desencadeou toda esta situação. No pênalti fizeram 1×0, perdemos um jogador. Foi um jogo atípico. Um resultado atípico. E ainda mais que no primeiro tempo quando ainda estava 1×0 tivemos um pênalti a nosso favor que não foi marcado. Mas a situação do Nunes que foi desleal e deu uma cotovelada no Michel. E sendo um atleta que já tem este perfil e não foi expulso. Foi um resultado muito ruim até por causa de todos estes problemas que aconteceram no jogo” comentou Tarcísio. Há 4 anos o Ituano não sofria 4 gols numa partida. Lembrança negativa que todos querem esquecer. Para isso, o Ituano tem dois jogos em casa nesta semana para sair desta incômoda posição de 15º na classificação geral.

Para recompor a defesa, Tarcísio Pugliese optou por tirar o atacante Ruan colocando o zagueiro Michel. O Ituano conseguiu equilibrar a partida e chegou a criar algumas oportunidades. Aos 28 Marcão pela esquerda finalizou com perigo. Na rede pelo lado de fora. Disputado o jogo teve momento de deslealdade. Numa bola pelo alto, o atacante Nunes soltou o cotovelo no nariz de Michel que caiu no gramado sangrando. Recebeu o cartão amarelo. Aos 36, o zagueiro Mirita tira de cabeça uma bola cruzada e a bola vai na mão de César Gaucho. O árbitro Luiz Flávio de Oliveira mandou o jogo seguir, Até que aos 44 veio o lance que aumentou o prejuízo. Diego Campos cruza da direita e encontra Allan Dias sozinho para ajeitar e fazer 2×0. “Mesmo com um jogador a menos, nós estávamos muito bem na partida. Inclusive a torcida do Botafogo estava pegando no pé do time deles. O Botafogo estava sentido isso na partida. Era o momento de reverter esta situação. Tomamos o segundo gol e nos complicou muito” explicou Tarcísio Pugliese. Antes do final do 1º tempo, Marcelinho fez ótima jogada pela esquerda e deixou Marcão sozinho dentro da pequena área. Mas ele finalizou em cima do goleiro Neneca. No segundo tempo, o Botafogo administrou o placar e ainda conseguiu fazer mais dois gols em dois cruzamentos. Felipe Nunes aos 30 após cruzamento da esquerda. E Serginho aos 42 após cruzamento da direita. Enfim, foi uma noite para esquecer.

ITUANO – Fábio; Raul Prata, Naylhor, Luiz Felipe e Peri; Jonatan Lima (Guly aos 71), Simião e Marcelinho; Claudinho (Rubinho aos 62), Marcão e Ruan (Michel aos 4). DT: Tarcísio Pugliese.

GOLS; 0x1 Allan Dias 3, 0x2 Allan Dias aos 44 do 1º; 0x3 Felipe Nunes 30 e 0x4 Serginho aos 42 do 2º.

ÁRBITRO: Luiz Flávio de Oliveira que expulsou Luiz Felipe com um minuto.
PÚBLICO: 2.626  –  Renda: R$ 37.560,00

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

Mauro Horita
Fotografia

22/fevereiro