Uma reabilitação eletrizante


16 de outubro de 2021 | Notícias

Capitão Matheus Mancini fez o importante gol de empate. A virada veio ainda no primeiro tempo.

Ituano e Paysandu fizeram um jogo eletrizante de 112 minutos com os acréscimos dos dois tempos. Com os dois times precisando da vitória, o primeiro tempo foi uma partida aberta com muitas finalizações e uma vitória de virada do Ituano por 2×1. O segundo tempo continuou com as equipes buscando a necessária vitória num cenário diferente. O Ituano tomando cuidado para não sofrer empate e sendo perigoso nos contragolpes. E o Paysandu fazendo pressão pelo empate, mas sem ameaçar o goleiro Pegorari. Aos 50 minutos da etapa final, o velocista João Victor foi preciso e fez o terceiro gol da justa vitória do Ituano. “Antes do jogo havíamos colocado uma situação que nosso planejamento tinha mudado. Com a derrota para o Criciúma, voltou o regulamento antigo do mata mata com o Paysandu. Isso foi importante para mobilizar o grupo e eles deram uma resposta muito positiva. Em termos de competitividade e agressividade. Esse time ferveu na partida a altura que este jogo pedia. Mas lembro que foi o primeiro jogo do mata mata. Sabemos como será difícil o jogo da volta na Curuzu com público. Principalmente na condição em que está o Paysandu. Conheço lá e pesa muito o jogo com público nestes momentos. Foi só a primeira parte desta disputa” comentou o técnico Mazola Júnior. Com a vitória, o Ituano assumiu a liderança do grupo com 6 pontos. Foi a primeira vitória em casa dos clubes no grupo. O Cricíúma empatou na rodada em casa com o Botafogo.

Os 50 minutos do 1º tempo com os acréscimos foi de muita movimentação, chances criadas, finalizações e três gols. Foram 14 finalizações sendo 10 do Ituano e 4 do Paysandu. Aos 6 minutos, Danrlei recebe na direita e o zagueiro Mancini tenta interceptar e faz a falta. Pela imagem não conclusiva, fora da área. Mas o pênalti foi marcado. Marlon abriu o placar. Na primeira boa oportunidade, 5 minutos depois o Ituano empatou. Em bola alçada na área, Igor Henrique cabeceia tentando o passe para o Tiago. O zagueiro intercepta e atrapalha o goleiro que dá o rebote. Tiago tenta com o peito e o goleiro dá novo rebote para o Mancini encher o pé e empatar. “A gente conseguiu reagir bem ao gol sofrido e logo na sequência conseguimos empatar. Demonstramos um poder de reação muito bom” lembrou Matheus Mancini. A virada quase veio aos 17 com Gerson cobrando falta e Kaio desviando de cabeça. Aos 34 inverteram os papéis. Kaio na direita cruzou para o meio da área e Gerson bem posicionado cabeceou para o chão e a bola entrou no ângulo. Antes do intervalo, Igor Henrique soltou uma bomba e a bola passou perto. No segundo tempo o jogo continuou eletrizante. Com menos chances e mais faltas e disputas. Tanto que foram 7 cartões amarelos no segundo tempo. Inclusive para os dois treinadores. Um típico de jogo de mata mata. “O jogo foi mesmo eletrizante” afirmou o Mazola que sabia na necessidade de vencer.

O Ituano quase fez o terceiro num chute de fora da área com Jimenez. E numa cabeçada de Tiago Marques para o chão. O goleiro Victor defendeu na linha. Pela imagem a bola não ultrapassou totalmente a linha do gol. Novamente as imagens não são conclusivas. Mazola fez as alterações necessárias para garantir a importante vitória. O atacante João Victor que entrou aos 24 estava aquecido para dar um pique de 60 metros em alta velocidade e nos acréscimos sacramentar a vitória por 3×1 após passe de Léo Duarte. “Os dois times precisavam do resultado. Assim como nós, eles também encararam esta disputa como mata mata. O duelo conosco foi com este espírito. Não se esqueça que estamos a enfrentar um clube de uma camisa pesadíssima. Um dos maiores clubes do Brasil. Volto a dizer, na segunda parte teremos um jogo muito mais eletrizante na semana que vem” afirmou Mazola. O jogo da “volta” está marcado para o próximo sábado, ás 17 horas no estádio da Curuzu, do Paysandu. “O jogo será decisivo para o Paysandu. Se eles não ganharem da gente em casa praticamente vão dar adeus ao acesso. Imagine um clube desta magnitude, com o orçamento que tem, ficar três anos na Série C. Será o jogo do ano para o Paysandu. Temos que estar muito forte emocionalmente, muito forte psicologicamente e com um espírito muito mais guerreiro do que hoje aqui” lembrou Mazola Júnior. O capitão Mancini concorda. “Acho que será um jogo muito pegado. Será um jogo tenso e muito disputado. Do começo ao fim. Deste nível para cima” afirmou Mancini.

Acaz Fellegger
Jornalista Mtb 19.426 SP

Miguel Schincariol
Fotografo

16/outubro